Total de visualizações de página

sábado, 26 de dezembro de 2015

Reflexo

                                        Fonte: http://www.kalapanaculturaltours.com/Blog/wp-content/uploads/2013/10/IMG_2233.jpg

Os seres humanos do alto de sua medíocre complexidade querem subjugar uns aos outros aos seus anseios egoístas, às suas frustrações pueris e aos seus projetos minimalistas de infelicidade.

Sinto que com o passar dos anos me dispersei em pedaços mal divididos de relações infelizes, empregos ruins, dramas familiares e até de pequenos sonhos não realizados.

Eu, no topo da minha montanha de lodo e caos deslizo na lama de minhas lágrimas derrotistas e me uno ao manto de lava que cobre minhas antigas esperanças, levando-as pouco a pouco às cinzas que voarão junto a tudo que não foi realizado.

Depressiva, suicida, deliciosamente infeliz e cheia de narcóticos. Abro os olhos mais um dia.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Leco


Muito me dói o coração já tão sofrido,
Caminhar pela casa sem te ouvir me seguindo.

Quero ouvir seus dentes batendo,
Seu ronronar de alegria.

Olho para sua caminha durante o passar do dia,
E me pergunto: - Por que Deus foi tão cruel comigo?

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Na toca da lacraia

Vontade de me arrastar para um buraco escuro,
Feito Animal peçonhento,
Encralacada feito lacraia,
Sentindo somente ódio por estar vivendo.

Ódio da vida
Ódio imundo.
Eu devia ter achado um buraco mais profundo.

Nojo de gente,
Nojo de tudo.
Vontade de jogar uma bomba e fuder com o mundo.

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Falando sem pensar


Vontade de acabar com essa vida e partir do mundo de fininho feito assobio baixinho.
Faz tempo que deixei meu corpo aqui e deixei minha mente vagando solitária no escuro.
Coração não bate mais.
Respirar... Não sou mais capaz.
Quisera ter coragem de pular do décimo andar 
E estampar folhetim barato da banca da esquina.

Inspiração: Don't shy from the light - neulore

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Upgrade

Dái a vida te dá uma rasteira,
Te faz comer poeira,
Ficar de quatro chão.

Aí você chora e implora,
Pede para a má fase ir embora,
Grita por uma saía ou uma solução.

Daí a vida te dá outra rasteira,
Acaba-se o sonho de uma vida inteira,

Te larga nu caído em um valão.

domingo, 19 de julho de 2015

I'm telling darkness from lines on you ( Bon yver)


Fonte: http://www.luzdegaia.net/sabedoria/anjos/prece_atendida.html

Disse-lhe que não retornaria mais, meu senhor.
Acho que menti.

Sabe, não posso mais suportar as injúrias que se acumulam como pedras em uma muralha por mim intransponível.
Já não tenho mais a vontade que caminhar nesse vale de dor e sombras.

Disse-lhe que não retornaria chorando para os seus braços, meu senhor.
Acho que menti.

Veja, tantas vezes lhe pedi que tirasse a minha vida.
Mas dissestes que cuidaria de mim.

Acho que você mentiu.

Não vejo mais as luzes que outrora guiavam meus passos.
Não sinto mais teu amor a envolver meus braços.

Não quero que minha alma vague para longe de ti.
Quero voltar para os teus braços, me perdoa se parti.



sábado, 18 de julho de 2015

Desesperança


     Fonte: http://25.media.tumblr.com/tumblr_lv555z4upk1r4nrt4o1_500.jpg




Lambo lentamente minhas feridas,
Enquanto repouso minhas latas cansadas no solo árido dessa planície onde vivo.

Fito o céu e me pergunto quando virá a chuva,
Quando virão as nuvens para aplacar o sol que castiga meus olhos fatigados?

Já vi dias melhores,
Já lambi feridas menores.