Total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O buraco negro


Acho que esqueci o caminho de casa,
Não me lembro mais como ascender ao céu e brilhar novamente.

Fui sugada por um buraco negro, amargo e infeliz.
Ele roubou a minha luz.
Ele roubou meu brilho, minha centelha reluzente e atrevida.

Eu outrora estrela,
Sou agora matéria sem vida.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Dividendos


Fez de mim credor cruel de tua infelicidade,
Fala de mim como a razão de teus dissabores e infortúnios.
Dá- me a responsabilidade pelos erros de teu passado.

Afastar-me-ei delicadamente dos teus golpes,
Voltarei minha face e sentimentos para longe de tuas penúrias.
Abre as cortinas do teu coração para outra direção.

Vou arrastar a minha idiotia, minha apatia, meu ciúme, minha verborragia, meus defeitos tortos e meus sentimentos mortos ..... para outras planícies.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Ultimo gole


Tuas mentiras pobres matam pouco a pouco o que existia de melhor enfim.
Caminhamos trôpegos e perdendo o fôlego para o derradeiro fim.

Acabou-se o riso, foi-se o pranto e morreu o encanto.
Temos o luto, o esquecimento, as mágoas azedas enfim.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Obituário II

  
Meu corpo dói,
Já cansei dessa caminhada estúpida.

Não há sentido para tanto sofrimento,
Não há sentido para tanta dor.

Sinto o pesar das horas,
Sinto a morte desse amor.


sexta-feira, 24 de abril de 2015

Partícula solitária



Sinto-me apequenar-me mais e mais.
Ontem fui um grão de arroz.
Hoje infimo grão de areia,
cuja insignificância não afeta a imensidão do universo.

Como as estrelas que brilham alto no céu;
Queria virar pequeníssima partícula de luz a vagar pelo espaço;
Fazendo parte da composição de algo belo, grandioso e maior;
Algo com significado, algo que me trouxesse pertencimento e paz.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Cicuta


   Fonte: https://www.flickr.com/photos/breki74/2804123968/



A voz é embargada;
A respiração é vacilante.

Acho que se esgotaram todas as minhas palavras;
Acabaram-se os suspiros.

Sorrisos. O que são?
Alegria. Desconheço-te.

Padeço da morte enquanto viva.
Desejo veneno a substitui-me a saliva.



quarta-feira, 15 de abril de 2015

Estrelinhas de sal

     Fonte:http://t.space.com/



Pequeninas estrelas de sal descem dos meus olhos todos os dias.
Delicadas e apressadas não esperam sequer anoitecer...

Fecho meus olhos e tento impedir sua cadência,
Mas como eu poderia lutar contra a natureza?
Amarga ilusão!

Lágrimas tem vontade própria e...
Obedecem apenas o coração.